Everything is awesome

Tudo muda. O tempo todo. Quando nos adaptamos a uma rotina agradável e aparentemente saudável, tudo muda de novo. Dos 5 pros 7 meses aconteceu muita coisa por aqui. Passamos pela primeira gripe. Pela primeira separação mamai – bebê porque precisei trabalhar fora de casa. Mais uma gripe. Uma virose. Dentinhos. Mordidas na hora de mamar. Paixão por gelatina. Mãozinhas pegadoras de qualquer coisa que esteja ao alcance (ou nao). Um nenem que engatinha.

Às vezes tudo parece um caos. Tem dia que tudo flui tão bem que eu custo a acreditar. Tem noite que ele acorda a cada uma hora, tem noite que ele só acorda duas vezes pra mamar. Tem dia que ele só dorme depois de 4 horas em pé balançando e andando pela casa. Tem dia que ele toma o leite na mamadeira, deitado na cama, termina, vira a cabecinha pro lado e dorme. Cada dia é uma surpresa. O que funcionou bem num dia as vezes não dá certo no dia seguinte. O banho tem sido uma aventura, porque ele quer ficar em pé, sair da banheira, pegar as coisas em volta, pegar a água, o shampoo, tudo. E mesmo assim é uma delícia. Na hora de colocar a camiseta, quando vou passar o bracinho na manga ele empurra pra cima pra ajudar. O cabelinho é o mais cheiroso do mundo. As maozinhas que mexem no meu cabelo. Que querem pegar minha gata o tempo todo. A gargalhadinha que ele dá quando ta de muito bom humor (quase o tempo todo) só de olhar pra ele sorrindo, sem fazer nada. O carisma. Os olhinhos de jabuticaba. A manchinha marrom no pézinho. A barriguinha delícia demais.

Não dou conta, tô perdidamente apaixonada por esse caos e amor chamado S e b a s t i a n. ❤

Anúncios

Sobre crescer

Não sei explicar esse sentimento que é ver o tempo passando rápido demais

Ontem me dei conta de que já são 5 meses, mas semana que vem já serão 6

E eu esperei tanto pelos 6 meses, pra ver ele interagindo comigo, brincando com as coisinhas dele, falando nenenês, sentando sozinho

Mas de repente me deu tanta saudade da fase de RN que era mamar/dormir/tomar banho/mamar/dormir

Quando era tudo tão difícil mas ao mesmo tempo tão fácil, por dar muito menos trabalho

Agora escrevo enquanto Sebastian está no carrinho jogando todos os brinquedos no chão, só pelo prazer de me ver pega-los 15 vezes por minuto

Ser mãe é ser tão feliz, tão completa e, acima de tudo, plenamente realizada. (Nem sempre, mas quase sempre)

Aconchego

Toda minha vida eu fui muito magra. Sempre que eu pegava um bebê no colo eu ficava numa noia de que ele não ia gostar de dormir no meu colo, por conta dessa magreza toda. Via pessoas mais gordinhas pegarem nenês e sentia que eles ficavam muito melhor acomodados naquele colo fofinho. Daí me tornei mãe. Aconcheguei meu filho em meus braços desde que tomou sua primeira dose de oxigênio nesse mundo. Hoje sinto mais ainda como se ele fosse uma peça de quebra cabeça que se encaixa na minha. Não importa se em pé ou deitado, a gente sempre da um jeito de ficar agarradinho e ele não se importa se tenho muitos ossos salientes ou não. Percebe-se que aconchego é uma característica adquirida.