Aconchego

Toda minha vida eu fui muito magra. Sempre que eu pegava um bebê no colo eu ficava numa noia de que ele não ia gostar de dormir no meu colo, por conta dessa magreza toda. Via pessoas mais gordinhas pegarem nenês e sentia que eles ficavam muito melhor acomodados naquele colo fofinho. Daí me tornei mãe. Aconcheguei meu filho em meus braços desde que tomou sua primeira dose de oxigênio nesse mundo. Hoje sinto mais ainda como se ele fosse uma peça de quebra cabeça que se encaixa na minha. Não importa se em pé ou deitado, a gente sempre da um jeito de ficar agarradinho e ele não se importa se tenho muitos ossos salientes ou não. Percebe-se que aconchego é uma característica adquirida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s